Wild-wonders.com  |  Contact  |  Links

RSS feed icon atom feed icon    Join Wild Wonders on YoutubeView Wild Wonders on FlickrJoin Wild Wonders on TwitterJoin Wild Wonders on FacebookJoin Wild Wonders on LinkedInView Wild Wonders on Slideshare  

Shop Cart  |  Tell a Friend!

Wild Wonders of Europe - the blog Wild Wonders of Europe Wild Wonders of Europe - the Blog

PETER LILJA – CRETA, GRÉCIA II

July 3rd, 2009 Posted in Southern Europe, Uncategorized

Other Languages:

Se viajarem até Creta no princípio de Abril para ver flores, façam uma nota mental com estes dois nomes – Spili e Planalto de Omalos.

Spili é uma vila grande e próspera com várias lojas para turistas, tabernas e quartos para alugar. Aluguei um e perguntei ao dono sobre bons locais para observar flores ao redor da vila e indicou-me alguns bem interessantes.

Existe um local mesmo atrás de Spili chamado de “encosta das orquídeas”; nesta encosta podemos encontrar 22 diferentes espécies de orquídeas. E a encosta fazia jus ao seu nome pois havia grandes quantidades de Flor-dos-macaquinhos-dependurados (Orchis italica), Orchis pauciflora e Ophrys quadripunctata nas saliências rochosas. Nos prados encontrei muitos Pé-de-burro (Gynandriris sisyrinchium) e Tulipas vermelhas (Tulipa doerfleri).

Após uma noite e uma manhã com boa luz era altura de me deslocar mais para Oeste.

Creta tem algumas gargantas e Samaria é a mais visitada de todas e o seu orgulho mas existem também algumas mais pequenas. Imbros é uma delas e merece uma visita. Pode ser pequena mas é muito pitoresca, silvestre e muito verde.

Após algumas horas pelas curvas das estradas de montanha, cheguei a Imbros depois de uma curta visita a uma aldeia chamada de Chora Sfakion, localizada na costa sudoeste. As ravinas de Imbros começam nas últimas casas de Imbros e prolongam-se durante 8 km’s até à aldeia de Komitades. Atravessá-las é fácil e não apresenta qualquer perigo. É de fácil acesso até para aqueles que não estão habituadas a longas caminhadas. Está acessível todo o ano excepto quando chove ou cai um forte nevão. A sua entrada é suave ladeada por ciprestes, ulmeiros, figueiras bravas, amendoeiras e flores. Após alguns metros a paisagem torna-se rochosa e com muitos ciprestes e flores. Tal como todas as ravinas de Sfakian, tornou-se um refúgio para Cristãos durante as ocupações Turcas e uma base para a resistência. Para mim, a garganta de Imbros é um local maravilhoso para fotos de paisagem e plantas.

Passei a noite numa pequena aldeia piscatória chamada Kolimbari, situada no lado oeste da ilha. Fotografei o nascer do sol sobre o golfo de Chanion e depois dirigi-me para sul para Elafonissi.

Aqui no lado oeste a paisagem é muito mais verde comparada com o lado este e as estradas atravessam muitas pequenas aldeias. Encontrei algumas novas espécies de flores pelo caminho. Em Elefonissi fazia muito vento e era difícil fotografar as plantas mas é um local fantástico com os turistas a visitar as praias com as suas águas cor turquesa. Fiquei durante algum tempo enquanto fazia algumas fotos de paisagem.

No meu caminho de volta, segui pela estrada costeira enquanto passava por algumas pequenas aldeias; esta estrada tem uma paisagem muito agradável. Fiquei em Falassarna, um local muito bonito. Esta praia no lado oeste é também um excelente local para orquídeas, especialmente nas encostas, junto às oliveiras. Tive um fim de tarde com uma boa luz, nuvens cinzentas no céu e de manhã continuei a minha viagem em direcção a Omalos.

Chania fica relativamente perto do planalto de Omalos. Quando se conduz por esta estrada no final de Abril, são as cores e os aromas das laranjeiras e limoeiros de Creta que dominam a zona. É uma pena que o cheiro não possa ser transmitido pela internet. Talvez no futuro. :-)

De qualquer maneira, chego ao planalto de Omalos, sendo este muito plano e ladeado por montanhas. Um local estranho e árido, com colinas cinzentas desprovidas de vegetação por causa das vastas manadas de ovelhas e cabras. Felizmente algumas áreas estão protegidas por cercas e lá dentro, muitas flores e grandes quantidades de tulipas.

Ia rastejando pelo chão com a minha câmara e o tripé Gitzo e pensava no que os pastores iam pensando de mim, aquele sueco doido.

Consegui algumas boas imagens de tulipas, da espécie Tulipa bakery e havia também muitas Anemone coronária. Após alguns dias era tempo de voltar à Suécia e começar a processar as minhas imagens mas sempre com a promessa de voltar.

O meu obrigado à Caroline Edelstam e ao Staffan Widstrand por me terem dado informações sobre bons locais para fotografar plantas.

Peter Lilja


Please note that blogs reflect our photographers' opinions and not necessarily those of the directors of Wild Wonders of Europe.

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Post a Comment